fatima mrue conselho de farmacia

A secretária de Saúde, Fátima Mrué foi o principal alvo de críticas de grande parte dos vereadores durante a prestação de contas do 2º quadrimestre de 2017 na Câmara Municipal de Goiânia, nesta sexta-feira (29). Parlamentares reclamaram do trabalho da secretária e ainda destacaram que ela não os recebe.

Fátima Mrué foi insultada pelos parlamentares. Uma das definições da palavra insulto é que retrata um tipo de violência verbal em que são utilizadas palavras verdadeiras (ou não), com exageros (ou não), com o propósito de atingir um ponto fraco da vítima.

Uma das críticas mais contundentes foi feita pelo vereador Clécio Alves (PMDB). Ele classificou a secretária como um “desastre, do desastre, do desastre”. O parlamentar constantemente tem feito duras críticas a secretária Fátima Mrué, incluindo o fato de a secretária não ter recebido ele. Clécio Alves ainda destacou que a gestora tem sido incompetente na sua função.

Jorge Kajuru (PRP) ressaltou reunião que representantes de segmentos de médicos tiveram com o prefeito e pediram a saída de Fátima Mrué da secretaria de Saúde. Kajuru destacou informação de que a secretária sairia por duas razões, se ele morresse ou se a secretária pedisse demissão. O vereador destacou o desejo de que a secretária pedisse demissão. Ele disse ainda reclamou ao prefeito que há dinheiro na conta para iniciar a construção do Instituto do Diabético, mas que a secretária não tomou providências.

Vinícius Cirqueira (PROS) reclamou que a secretária não o tem recebido. Ele disse que não mais fará a solicitação para audiência, mas que fará esforços para convocar a secretária na Câmara para sempre que for necessário. Ele criticou a possibilidade de fechamento do CAIS Guanabara que poderá ser transformado em UPA.

Fátima Mrué justificou. Ela ressaltou que é importante ouvir as críticas. No entanto, ela discorda das colocações feitas pelos vereadores de que eles não são recebidos.

“Analiso com muita tranquilidade. Acho que é muito importante para mim ouvir as críticas, faz parte da democracia. Que eu não os recebo, eu não compartilho desta informação. Já recebi a todos, mais de uma vez. Como isso não estava surtindo um efeito para eles, me propus ir à Câmara a cada 15 dias na Comissão de Saúde, divulgando isso previamente, trazendo as pautas, onde considero o local da interlocução adequada. Infelizmente eles pediram para que não fizesse mais isso, pois o dia e horário era compatível para eles”, declarou.

Em defesa da secretária durante a prestação de contas, somente os vereadores Paulo Daher (DEM), que tirou uma foto com a secretária e Tatiana Lemos (PC do B), que acredita que Fátima Mrué tem condições de melhorar o trabalho dela.

Leia mais

Saúde de Goiânia não tem dinheiro para pagar parcelas de exames, diz secretária

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA