Contracheques com informações relativas aos meses de julho e agosto (Foto: Samuel Straioto)
contracheque servidora educacao

Funcionários administrativos da Rede Municipal de Educação da capital denunciaram que o pagamento da Data Base foi realizado de forma irregular. Servidores contaram a reportagem do Diário de Goiás que a correção das perdas inflacionárias foi realizada de abril até julho. Porém em agosto, o benefício foi cortado e há possibilidade de desconto do que já foi pago no contracheque do próximo mês.

Uma servidora mostrou o contracheque dela e indicou que ela recebeu salário líquido de aproximadamente R$ 1,50 mil e no mês de agosto R$ 1,19 mil. A funcionária que preferiu não ser identificada argumentou que o desconto se deve ao corte da Data Base. Ela disse que há ameaças de descontos referentes aos valores que já foram pagos.

“Eu acho estranho porque já havia sido feito o pagamento. Agora vai descontar os meses anteriores, sem aviso, sem nada. Achamos estranho essa argumentação que não tem dinheiro”, afirmou a servidora.

O professor Antônio Gonçalves explicou que a prefeitura acabou retirando algo que havia sido acordado durante a última greve. Ele reclama que não houve nenhuma comunicação por parte da prefeitura. “A informação que nós temos é que vão fazer os cortes nos pagamentos já no próximo mês, mas achamos estranho, porque trata-se de um direito que nós conquistamos durante a greve”, explicou.

Resposta

A reportagem entrou em contato com a Secretaria Municipal de Educação e aguarda resposta.

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA