foto meia ponte vilaForam anunciadas nesta terça-feira (12) pelo secretário da Secima, Vilmar Rocha, uma série de medidas a serem adotadas para a restrição de captação de água na Bacia do Meia Ponte. De acordo com o secretário, a decisão se baseia em estudos técnicos realizados pela Secima, que também leva em consideração a forte estiagem em Goiás e o decreto da situação de emergência, de 90 dias.

Com as medidas de restrição de captação de água na Bacia do Meia Ponte, o Governo de Goiás busca melhorar a situação de escassez hídrica do estado e melhorar as condições para a Saneago. Isto porque a empresa conta com outorga de 2.300 litros de água por segundo, mas por conta da baixa nas bacias, tem captado, atualmente, a média de 1.500 L/s, provocando crise no abastecimento público de água na Região Metropolitana de Goiânia.

Principais medidas

Nos próximos 90 dias, ficará suspensa a emissão de novas outorgas e também a renovação de outorgas existentes. A restrição será apenas aos setores de agricultura e indústria. A expectativa é de que com a restrição haverá uma redução do consumo de aproximadamente 500 litros de água por segundo. Irrigação na agricultura deverá se restringir apenas no período noturno.

Além das medidas, a SECIMA, também reforça a importância da conscientização e a informação da população, quanto à economia e ao uso racional da água. Essa conscientização será reponsabilidade da Saneago, que também deverá informar a população os horários e datas de eventuais suspensões do abastecimento.

Barragens

O secretario enfatiza a importância das barragens, como a do João Leite, que já está atuando e melhorando a situação de pelo menos 40 bairros de Goiânia.

Fiscalização

A Secima também manterá, como já vem ocorrendo há vários dias, forte fiscalização na Bacia do Meia Ponte para coibir captações ilegais e também agora para verificar o cumprimento das novas condições de captação.

O secretario reforça que a fiscalização nas represas acontece durante todo o ano, no entanto ela é intensificada durante o período de estiagem, onde aumenta o índice de captação clandestina de água. Em apenas 3 semanas, foram aplicada mais R$ 300 mil em multas, principalmente por irrigação irregular.

Previsão de chuva

A Superintendente do Sistema de Meteorologia e Hidrologia do Estado de Goiás (Simehgo), Rosidalva Lopes, afirmou que de 2014 a 2017, houve a redução de 25% nos índices de chuva acumulada nos municípios de Goiânia e Santo Antônio de Goiás. A previsão é de que entre os dias 17 a 20 de setembro, a região sul do estado, comece a receber algumas chuvas. Já a região central de Goiás, como Goiânia, a chuva deve chegar somente a partir do dia 30 de setembro.

No entanto, apesar das previsões, não é garantido que as primeiras chuvas reabasteçam a Bacia do Meia Ponte, de forma que voltem a operar e distribuir água para o estado normalmente.

Leia Mais:

Marconi decreta situação de emergência na Bacia do Meia Ponte

Água do Ribeirão João Leite chega a 40 bairros de Goiânia, diz presidente da Saneago

 

 

Contato com a redação:
(62) 99625-9856

BUSCA