materno infantil foto portal do servidor Após o registro de dois óbitos da Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (Ucin) do Hospital Materno Infantil (HMI) em decorrência de infecção multirresistente por Klebisiella Pneumoniae, a direção decidiu interditar o local.

De acordo com a diretora técnica do HMI, Sara Gardênia, assim que o resultado das hemoculturas ficarem prontas, a unidade voltará a funcionar normalmente. Segundo Sara, a infecção ocorreu devido à superlotação do hospital.

“Passamos por um momento de superlotação e, em decorrência da superlotação, esses bebês foram penalizados. Nossa unidade tem uma capacidade finita para uma demanda infinita. Então, se ela tem capacidade para 22 leitos e nós chegamos a ficar com 35 crianças dentro da unidade, não é difícil imaginar que seria... Na verdade, foi uma tragédia já anunciada, que iriamos acabar tendo que passar por uma situação como essa”, explicou.

Durante entrevista coletiva concedida na tarde desta segunda-feira (20), a diretora ressaltou que existe riscos, mas os pais dos outros bebês devem se tranquilizar quanto aos cuidados que já estão sendo tomados pela unidade de saúde.

“Existe um motivo para a gente ficar preocupado, que seria o fato de a gente ter uma notificação de uma bactéria multirresistente que o hospital está enfrentando, mas o que eu posso garantir e tentar tranquilizar os pais é que todas as medidas de precaução estão sendo tomadas para que a gente proteja os bebês que estão na Unidade de Cuidados Intermediários de uma infecção. Além disso, todos os órgãos já foram comunicados, então a gente está tentando fazer tudo que pode para evitar que essa contaminação aumente, que se alastre pela unidade”, disse.

Entre as medidas estão a contratação de uma equipe médica exclusivamente para a Ucin, o uso de máscaras, gorros, luvas, isolamento dos bebês em incubadoras, restrição de visitas, desinfecções terminais e o bloqueio da unidade. “Essas medidas vieram no sentido de coibir novas infecções”, ressaltou a diretora.

Questionada sobre outras uma possível infecção em outras áreas do hospital, Sara informou que o restante da unidade está funcionando de forma normal. “Apenas a Unidade de Cuidados Intermediários está bloqueada. Todas as outras áreas do Hospital estão funcionando de forma normal. Não há nenhum indício de infecção nas outras áreas. Mesmo assim, os únicos casos que temos notificados e confirmados foram os dois primeiros e depois disso não tivemos outras confirmações. Estamos aguardando o resultado final da hemocultura para a gente poder ter certeza de que só foram aqueles dois casos”, concluiu.

O caso

O HMI registrou dois óbitos em decorrência de uma infecção multirresistente por Klebisiella Pneumonia, uma bactéria comum em unidades fechadas com uso frequente de antibiótico.

Por meio de nota, a direção do hospital informou que os dois casos foram confirmados por meio de hemocultura. Outros dois possíveis casos de infecção de recém-nascidos na Ucin estão sob análise.

Leia mais:

 


BUSCA