crianca feliz marconi Nesta segunda-feira (20) o Governo do Estado, através da Secretaria Cidadã, lançou o programa Criança Feliz do Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário (MDS), em 96 municípios goianos. O programa tem como objetivo estimular o desenvolvimento das crianças desde a gestação até os três anos de idade. O plano visa atender famílias beneficiárias do Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

“O programa Criança Feliz tem como premissa olhar para a primeira infância, etapa fundamental na vida das crianças, que compreende desde o período do nascimento até os 6 anos. É nesta fase que se dá o início do crescimento físico, o amadurecimento do cérebro, a aquisição dos movimentos, a capacidade de aprendizagem e a criação afetiva e social”, explica a secretária cidadã, Lêda Borges.

De acordo com o Ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, o projeto oferecerá acompanhamento em casa, para todas as crianças dos 96 municípios, que são beneficiárias do Bolsa Família e BPC. “Todas deverão entrar no programa para que elas tenham oportunidade de um desenvolvimento mais adequado e estimulante, para que essa criança possa chegar na escola em melhores condições e ter um desempenho escolar e de vida melhor”, conta.

A Secretária Lêda conta que alguns estudos comprovam maior desenvolvimento na primeira infância. Segundo Lêda, quando existem condições para o desenvolvimento no início da vida de uma criança, ela pode alcançar o melhor do seu potencial humano, tornando-se um adulto mais realizado e equilibrado.

O Ministro também se baseou em algumas pesquisas para explicar a importância do programa no desenvolvimento social de crianças. “As pesquisas mostram que são nos primeiros mil dias de vida que se organizam as competências humanas. Uma criança pobre sempre está em desvantagens em relação aos estímulos comparado a uma criança de classe-média. Então buscamos compensar com um programa de acompanhamento”, explica.

O programa conta com atendimento domiciliar semanal, executado por especialistas treinados. Ele funciona como um direcionamento, não apenas para as crianças, mas para as famílias, afim de estimular o desenvolvimento e o crescimento saudável nos primeiros mil dia da criança.

Os filhos dessas famílias serão acompanhados desde a gestação da mãe até os três anos, para beneficiários do Bolsa Família e até seis anos, para beneficiários do BPC. No primeiro ano da implantação do projeto, cerca de 14,5 mil crianças serão atendidas em Goiás. A meta do ministério é fazer o atendimento à pelo menos 4 milhões de criança em todo o país até 2018.

O ministro do desenvolvimento garante bons resultados do programa. Segundo ele, o projeto já foi implantado em 14 países e obteve ótimos resultados. “Estamos trabalhando com uma consultoria. Essa consultoria irá fazer o acompanhamento dos resultados, comparando grupos de crianças que estão no programa e grupos de crianças que não estão, para que nos dê ideia da efetividade”, explica.

Leia mais:

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA