concurso pmgo edital O procurador geral do Estado, Alexandre Tocantins, defende legalidade de concurso para soldados da Polícia Militar de Goiás (PMGO). A juíza da 1ª Vara da Fazenda Pública Estadual de Goiânia, Zilmene Manzilli, reformou decisão, desta forma o concurso para cadetes continua valendo, mas ainda continua suspenso o certame para soldados de 3ª classe. Alexandre Tocantins avalia que não haverá nenhum tipo de insegurança jurídica.

“Penso que não. Acho que essa decisão é uma decisão que está prevalecendo, acho que vai trazer uma segurança para todos e nós sempre procuramos demonstrar isso. As pessoas se deslocam dos lugares, fazem suas inscrições, se submetem. Acho que a regularidade agora na realização das demais etapas do concurso e esse reconhecimento por parte dessa nova decisão da juíza vai trazer essa segurança, essa base, essa tranquilidade para que as pessoas, que eventualmente forem aprovadas, se submetam às demais etapas do concurso”, destacou.

O procurador Alexandre Tocantins explicou que outras providências também foram tomadas para que o certame para soldado também não tenha nenhuma pendência jurídica. Ele defende a legalidade de lei aprovada na Assembleia que cria novas categorias

“Acho que essa lei que criou esses cargos foi uma lei trabalhada, com a participação de todos, até em substituição a um projeto anterior e eu acho que temos que parabenizar a magistrada pela sensibilidade, pelo reconhecimento, pela possibilidade de se continuar a realização do concurso que é muito importante para Goiás para o provimento desses cargos da Polícia Militar do Estado de Goiás.

Leia mais sobre o assunto

Justiça suspende concurso da PMGO

Estado anuncia que recorrerá de suspensão do concurso da PM-GO

BUSCA