logomarcadiariodegoias2017

b_600_0_16777215_00_images_stories_imagens_2018_1_janeiro_jefferson_pureza.jpeg

A conclusão do inquérito policial sobre o assassinato do radialista Jeferson Pureza foi apresentada nesta sexta-feira (9). De acordo com a Polícia Civil do Estado de Goiás (PC-GO), o vereador José Eduardo Alves da Silva teria pedido a Marcelo Rodrigues dos Santos, de 39 anos, intermediar o crime.

Com isso, Marcelo Rodrigues teria contrata Leandro Cintra da Silva e um menor, por R$ 5 mil, para assassinar o radialista. Jeferson Pureza foi morto no dia 17 de janeiro de 2018, em Edealina.

Ainda segundo a Polícia Civil, o vereador já teria planejado matar o radialista em outro momento, no início de 2017, devido a problemas políticos. No entanto, José Eduardo teria desisto do crime.

Porém, ao saber que a ex-mulher estaria em um relacionamento com Jeferson, o vereador teria retomado o plano de assassinar o radialista. Conforme o responsável pelas investigações, delegado Quéops Barreto, o intermediário teria marcado um encontro entre o vereador e os outros dois suspeitos.

De acordo com a Polícia Civil, o vereador assumiu ter planejado o crime no ano passado e novamente em 2018, mas negou a execução do assassinato. O menor confirmou o encontro com o vereador.

Leia mais:

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

SEARCH