O banqueiro espanhol David Muino Suarez foi preso preventivamente pela Polícia Federal nesta segunda-feira (27), no aeroporto de Guarulhos (SP).

Suarez, segundo a acusação, foi responsável pela abertura de contas no BSI (banco suíço) para beneficiários de esquema de corrupção na Petrobras.

Entre eles, está João Henriques, identificado pelo Ministério Público Federal como operador de interesses do PMDB.

Segundo as investigações, a aquisição por parte da Petrobras de campo de petróleo em Benin, na África, gerou repasse de US$ 10 milhões para uma off-shore de Henriques. Desses, US$ 1,5 milhão teria sido transferido para conta do ex-deputado federal Eduardo Cunha.

As investigações também identificaram repasses para off-shore no BSI de Pedro Xavier Bastos, ex-gerente da área internacional da Petrobras.

Em interrogatório, Xavier Bastos disse que Suarez veio ao Brasil abrir sua conta na Suíça.

De acordo com o Ministério Público Federal, Suarez não só atuou na abertura das contas, como também nas transferências.

"O fato de aparentemente atuar ou ter atuado na captação de clientes para o BSI na Suíça não é, por si só, ilegal. Mas se entre esses clientes, encontram-se agentes públicos ou da empresa estatal e que teriam recebido valores de contratos com empresas estatais, o quadro se altera", afirma Moro em despacho.

O juiz entende que há elementos que apontam para o crime de lavagem de dinheiro, o que justificaria a prisão preventiva.

Em e-mail coletado pela Procuradoria, Suarez diz a executivo da Petrobras que já avisou ao "trading desk" para "não enviar os e-mails para seu endereço da Petrobras".

Moro avalia que há jurisdição brasileira porque a lavagem teria envolvido crime de corrupção no Brasil, já que Suarez teria vindo ao país para realizar a abertura de contas.

"Em todo o caso, sendo estrangeiro não-residente, caso ele deixe o país, a aplicação da lei penal estará em risco, já que a investigação e a persecução serão dificultadas (...) Não vislumbro, no momento, outra possibilidade de prevenir o risco à aplicação da lei penal, senão pela preventiva."

Moro já autorizou a transferência de Suarez para a carceragem da PF em Curitiba.

A prisão preventiva do banqueiro foi expedida em outubro deste ano. (Folhapress)

Leia mais:

 

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA