black friday

Ainda que as pessoas estejam comprando produtos mais caros nesta Black Friday, a quantidade de reclamações dos clientes feitas até as 20h já ultrapassou o total de reclamações registradas até o mesmo horário de 2016.

É isso o que aponta o balanço parcial feito nesta sexta (24) pela plataforma de queixas de clientes Reclame Aqui. Foram registradas 2.887 reclamações, ante as 2.430 registradas em igual período no ano passado.

De acordo com o site, a cada hora mais de cem novas queixas são registradas pelos consumidores, a maioria relacionada a propaganda enganosa, problemas para finalizar compras e divergências de valores.

Celular e smartphone aparecem na liderança dos itens mais reclamados, seguidos de TVs e perfumes. As categorias também estão na lista das mais compradas, depois dos eletrodomésticos, segundo o Ebit.

O número de pedidos cresceu 23% para 887 mil entre 0h e 23h59 de quinta-feira (23) e o tíquete médio caiu 2%, de R$ 491 para R$ 483, apontou o monitoramento da plataforma de reclamações.

Para este ano, a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) estimativa um faturamento de R$ 2,506 bilhões, valor 18% acima ao registrado em 20116.

FALSA PROMOÇÃO

Quase metade de todos os 633 atendimentos feitos pelo Procon-SP na data foram de queixas, a maioria delas relacionadas às grandes varejistas do país.

CasasBahia.com, Extra.com e Ponto Frio, do grupo GPA, lideram as reclamações, seguidos do Magazine Luzia e B2W.

Um levantamento da reportagem, que acompanha desde o mês passado a variação dos preços de 719 itens participantes da Black Friday mostra que metade deles custava menos antes da "promoção" - ainda que o número seja menor ao registrado na mesma data do ano passado.

Nas redes sociais, segundo apurou a empresa de análise de dados Airfluencers, 268 mil comentários sobre a data foram feitos, sendo que 44,6% deles eram negativos. As marcas mais citadas foram Apple (69%), Samsung (15%) e Sony (9%).

Números consolidados das vendas e das reclamações da Black Friday serão divulgados até segunda-feira (27).

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA