O presidente Michel Temer (PMDB) defendeu na manhã desta quinta-feira (5) os indicadores econômicos de seu governo em viagem a Belém (PA). Na cidade, recebeu o título de cidadão paraense das mãos de deputados estaduais e, em entrevista coletiva, não respondeu sobre sua defesa na Câmara.

Com impopularidade recorde, segundo a mais recente pesquisa Datafolha, Temer busca na viagem reforçar a agenda positiva, o que já fez nesta quarta (4).

Em meio aos festejos do Círio de Nazaré, o presidente esteve na capital paraense para assinar um protocolo que destina um terreno da União à Arquidiocese de Belém. Durante o seu discurso, Temer defendeu a atual política econômica.

"Temos dois anos e oito meses de governo no total. Naturalmente temos que fazer tudo rapidamente. O fato de termos realizado [a destinação do terreno] em sete dias significa que o governo federal tem trabalhado", disse.

Segundo ele, foi assim que o governo conseguiu reduzir a inflação, "que estava em 10%, para 2,4%". "Em menos de 16 meses, conseguimos reduzir os juros de 14,25% e chegar ao final do ano em 7%, e menos até como dizem os analistas da área econômica."

Temer ainda comentou dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobre geração de empregos.

Após o evento, o presidente concedeu entrevista coletiva em que prestou solidariedade às vítimas da tragédia que deixou quatro crianças mortas numa creche de Minas Gerais.

Segunda denúncia

Questionado sobre a defesa da segunda denúncia encaminhada pelo ex-procurador geral da República Rodrigo Janot, Temer encerrou a coletiva e não respondeu às perguntas dos jornalistas.

A defesa foi apresentada pelos advogados do presidente à CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara.

Ainda durante o evento em Belém, deputados estaduais do Pará fizeram a entrega do título de cidadão paraense, concedido pela Assembleia Legislativa. Participaram do ato os ministros Raul Jungmann (Defesa), Helder Barbalho (Integração Nacional) e Dyogo de Oliveira (Planejamento), além de chefes militares, parlamentares e o arcebispo metropolitano de Belém, dom Alberto Taveira.

Sobre os festejos do Círio de Nazaré, que ocorrem no decorrer desta semana em Belém, o presidente disse "sair animado". "Saio com minha alma incendiada, abençoada, para dizer vamos em frente Brasil, vamos em frente Pará."

Terreno

Às vésperas do Círio de Nazaré, uma das maiores festas católicas do Brasil, a oficialização do acordo consolida pleito da Arquidiocese de Belém, que solicitava o uso da área desde 2001.

Cedido pela União à Arquidiocese de Belém, o terreno de quase 10 mil m² estava, até então, ocupado por uma unidade do Comando do Exército.

Para concretizar a cessão, foram repassados R$ 43 milhões ao Exército. O valor foi arrecadado ainda em 2014 por meio de emendas parlamentares da bancada paraense no Congresso.

Situado ao lado da Basílica de Nazaré, no centro de Belém, o terreno deverá receber um centro de convenções com capacidade para entre 4.000 e 5.000 pessoas.

Após o evento, Temer viajou para o Maranhão, onde visitará o Centro de Controle de Alcântara. O retorno para Brasília está programado para as 16h45. (Folhapress)

Leia mais:

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA