sergio cabral

Os imóveis, carros e lanchas do ex-governador do Rio Sérgio Cabral e seus ex-assessores se tornaram a estrela do anúncio da empresa Rio Leilões, que organiza a venda da maioria dos bens da Operação Lava Jato no Rio.

A empresa publicou na última segunda-feira (25) no jornal "O Globo" um anúncio no caderno de leilões com a chamada "Leilões judiciais de bens do ex-governador Sérgio Cabral e seus assessores". O certame está marcado para o dia 3 de outubro.

Além da casa de veraneio de Cabral e da mulher Adriana Ancelmo em Mangaratiba, são oferecidos três duplex na Barra da Tijuca (zona oeste), mais três apartamentos, uma sala, seis carros, duas lanchas, um jet-ski e 24 relógios.

Todos os bens estão avaliados em R$ 28,6 milhões. No dia 3, o lance mínimo é o da avaliação. Caso o bem não seja vendido, ele será oferecido no dia 11 de outubro, com 20% de desconto no preço mínimo. A Justiça aceita parcelar em até 30 vezes o pagamento, com uma entrada de 25% -lances à vista, contudo, têm prioridade.

Os bens serão vendidos para ajudar a pagar multas e indenizações decorrentes dos processos da Operação Lava Jato. Cabral já foi condenado em dois, e é réu em outros 12.

A casa de Mangaratiba é o bem mais caro em oferta (avaliação de R$ 8 milhões). Em seguida, estão os três dúplex em nome de Ary Filho ou de sua empresa, Imbra Imobiliária. Ele foi preso na Operação Mascate, sob acusação de lavar dinheiro do esquema por meio de concessionárias.

Também vão a leilão bens de Wagner Jordão Garcia , ex-assessor da Secretaria de Obras, e 12 relógios do próprio ex-secretário Hudson Braga.

O leiloeiro Renato Guedes não colocou à venda o relógio Rolex de Braga apontado como "inautêntico" pela Polícia Federal.

As joias da ex-primeira-dama serão leiloadas, mas ainda aguardam a avaliação de um perito judicial. (Folhapress)

Leia mais:

 

 

 

Contato com a redação:
(62) 99625-9856

BUSCA