Foto: Agência Brasília
carmen lucia e michel temer foto agencia brasilia
O presidente Michel Temer (PMDB) se reuniu na manhã deste sábado (7), com a presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), a ministra Cármen Lúcia, para tratar da crise penitenciária do país.

Nos seis primeiros dias do ano, 93 presos foram assassinados em penitenciárias do Amazonas, de Roraima e na Paraíba.

O encontro acontece na casa da ministra, no lago sul, em Brasília. Temer saiu do palácio do Jaburu, onde mora, por volta das 10h, em um carro não oficial, um fusion prata, e se dirigiu à casa de Cármen Lucia.

Segundo assessores de Temer e Cármen Lúcia, eles conversaram por telefone nesta sexta-feira (6), depois das mortes na Penitenciaria Agrícola de Monte Cristo, em Roraima, onde morreram 31 presos.

Na conversa, combinaram de se encontrar no final de semana para falar sobre a crise penitenciária no país. O compromisso não consta na agenda oficial de Temer.

Entre domingo (1°) e segunda-feira (2), 60 presos foram mortos em dois presídios de Manaus. Nesta sexta (6), 31 morreram na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, na zona rural de Boa Vista (Roraima).

As mortes evidenciam a disputa pela hegemonia nos presídios do Norte do país entre as facções criminosas PCC (Primeiro Comando da Capital) e FDN (Família do Norte), um braço do Comando Vermelho.

Em Manaus, a maioria das vítimas era ligada ao PCC (Primeiro Comando da Capital). Em Boa Vista, de acordo a Secretaria de Justiça de Roraima, o massacre foi uma reação da facção de origem paulista.

A ação desta sexta ocorreu por volta das 2h30 (4h30 no horário de Brasília), quando um grupo de presos deixou as celas e iniciou a chacina. A secretaria informou que equipes do Bope (Batalhão de Operações Especiais) e da Polícia Militar (PM) estão na unidade e que os presos já foram recolocados em suas celas.

(FOLHA PRESS)


busca