vassil 2017

Colunista

Vassil Oliveira

 

lucia vania vilmar rocha vanderlan cardosoO PSB reelegeu nesta sexta, 15, a senadora Lúcia Vânia presidente da legenda em Goiás em evento que juntou muita militância e criou dois fatos avulsos de alcance a ser medido nos próximos dias.

Um deles foi a presença de um eloquente Vilmar Rocha, presidente do PSD no Estado, dizendo que os dois partidos estarão juntos no ano que vem, como estiveram nos últimos anos.

Matemática difícil, porém possível. "Tenho convicção que estaremos juntos em 2018. Estivemos juntos há tanto tempo, buscando o melhor para Goiás, não há motivo para não estarmos em 2018", registrou Vilmar, em uma página de sua rede social, com foto dele e da colega.

O outro foi o (auto)lançamento de Vanderlan Cardoso a qualquer cargo. Única condição “o apoio de todos” de seu partido.

Lúcia e Vilmar integram a base do governador Marconi Perillo (PSDB) – que já está na estrada com a candidatura ao governo do tucano José Eliton –, e querem a mesma coisa: a segunda vaga de candidato a senador em uma chapa que, na visão dos governistas, tem Marconi como ‘dono’ garantido da primeira.

Vilmar e Lúcia, que estão na origem do chamado ‘tempo novo’, que chegou ao poder com Marconi Perillo em 1998, têm seus trunfos (os seus partidos, por exemplo), e jogam com armas parecidas:

a) conversando com o grupo governista, mas também com a oposição peemedebista;b) adiando, para o ano que vem, qualquer definição de rumo;c) admitindo, quem sabe, inclusive lançar candidato a governador.

Esta semana, um ponto a favor de Vilmar Rocha: a apresentação do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, como pré-candidato a presidente da República do PSD.

 

Leia mais:

- Meirelles pré-candidato a presidente: o que muda em Goiás

- O jogo de Meirelles

 

A disposição mostrada por Vanderlan de ser mais uma vez candidato ao governo é a novidade. Ela é apresentada de forma implícita, mas carregando todos os ingredientes de quem diz com todas as letras o que evita falar com todas as palavras.

Acompanhe o que diz texto de sua assessoria, sob este título que vai direto ao ponto: “Se meu nome tiver o apoio de todos eu não vou fugir da raia”, afirmou Vanderlan.

O texto:

Durante o Congresso Estadual do PSB que reelegeu a senadora Lúcia Vânia para mais três anos como presidente estadual do partido, o empresário Vanderlan Cardoso afirmou que vai deixar seu nome à disposição para as eleições de 2018. Vanderlan, que venceu duas eleições para prefeitura de Senador Canedo e disputou o governo de Goiás, também por duas vezes, e a prefeitura de Goiânia, no ano passado, disse que a decisão de qual cargo poderá disputar no próximo ano será tomada pelo partido. “Qualquer projeto nosso para o ano que vem vai depender do partido. Vamos discutir com os companheiros antes de tomar decisão”, explicou o ex-prefeito de Senador Canedo.

Prossegue o material da assessoria:

O empresário contou que, terminada a eleição do ano passado quando disputou a prefeitura da capital, passou a dedicar mais tempo para seus negócios. O objetivo, segundo informou, é deixar tudo organizado na empresa para, em 2018, focar na disputa eleitoral. ”A gente nunca deixa de fazer política, mas depois que saímos da campanha (de 2016) passamos a nos dedicar às empresas para organizar tudo para vir mais tranquilo para um projeto em 2018. Mas quem vai definir sobre cargos é o grupo. Eu não sou candidato de mim mesmo”, falou.

Perguntado se colocaria seu nome para apreciação do partido, Vanderlan disse que nunca foi de fugir das suas responsabilidades, prova disso é que disputou, por duas vezes, o governo de Goiás. “Se meu nome tiver o apoio de todos eu não vou fugir da raia”, afirmou.

Por fim:

O empresário afirmou que é possível que o PSB lance candidatura própria ao governo de Goiás no ano que vem, mas que nada vai ser decidido esse ano e nem de forma unilateral. Para ele a decisão será tomada pelo grupo. “Nomes para a disputa o PSB tem. Mas isso vai depender da direção do partido e dos companheiros. Essa não é uma decisão desse ou daquele outro, e sim uma decisão de todos. Mas, bons nomes o PSB tem para disputar qualquer cargo no Estado de Goiás.

Para bons entendedores, meia palavra basta. Meias palavras do próprio Vanderlan Cardoso, no caso.

Vanderlan foi candidato a governador em 2010 com apoio do então governador Alcides Rodrigues (antes PP, hoje PRP), e contra a base de Marconi Perillo.

Em 2014, foi novamente candidato ao governo, outra vez na oposição. Na primeira vez, apoiou Iris Rezende (PMDB) no segundo turno; na segunda, ficou neutro quando perdeu, no primeiro, para Iris e Marconi; nas duas vezes, ganhou o tucano.

Em 2016, já no PSB e com apoio do governador, Vanderlan disputou a prefeitura de Goiânia contra Iris. Ganhou Iris.

Leia mais sobre:

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA