vassil 2017

Colunista

Vassil Oliveira

 

altair tavares e gustavo mendanha

O prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha, faz um discurso firme, toma partido e entende que comunicação e política andam juntas – uma puxa a outra, jamais se excluem.

Por si só, isso já lhe dá um sentido de novo dentro de um PMDB que ainda está preso nas disputas internas, dificultando as disputas externas.

Em entrevista ao DG na semana passada, Gustavo defendeu candidatura própria do partido ao governo do Estado, contou que não perde a atenção à redes sociais e defendeu Maguito Vilela e Daniel Vilela, citados na lista do Fachin.

Mostra, assim, companheirismo partidário – e lealdade. Maguito, ex-prefeito de Aparecida, foi o padrinho de sua candidatura a prefeito, e Daniel um defensor de primeira hora.

Gustavo toma essa atitude no momento em que, no partido, o que se vê é uma corrida para fritar Daniel como candidato a governador.

São muitos os sonhadores com candidatura em 2018.

São muitos os grupos de disputa dentro do PMDB.

Um partido que se divide tanto é um partido pouco propenso à unidade.

Na prática, o PMDB tem um pré-candidato a governador: Daniel Vilela.

Na luta interna, não tem nenhum.

BUSCA