vassil 2017

Colunista

Vassil Oliveira

 

iris no gabinete secom

O Diário de Goiás publica pesquisa Grupom realizada em Goiânia e o resumo da ópera dos primeiros 100 dias de administração é que o povo está sentindo falta do prefeito que elegeu.

Os números confirmam a voz das ruas: Iris não está sendo o Iris de sempre, e o povo votou no Iris de sempre.

Porque foi o Iris Rezende Machado de sempre que se apresentou na campanha para dizer que Goiânia precisava de um bom gestor que fizesse, e bem, pelo menos o básico.

Que fizesse a cidade voltar a funcionar direito.

Iris disse na campanha que faria a prefeitura andar, agindo como sempre agiu: indo para a frente de trabalho, mostrando a cara e liderando tudo e todos de peito aberto.

Nestes primeiros dias, porém, o que temos é uma administração que, em algumas áreas, parece ainda não ter entrado nos eixos.

E um prefeito que tanto não saiu de seu gabinete que chegou ao ponto de ver sua saúde ser alvo de boatos. Pura maldade de adversários, mas também de aliados. (Pura no sentido de clara, jamais no outro.)

As crises na Saúde, na Educação, na Comurg, com a Câmara de Vereadores seriam até naturais, próprias de estruturas reagindo a mudanças para melhor, se o sentimento popular – os números não mentem – não fosse de desconforto, como se não houvesse rumo, como se tudo estivesse sem controle.

Em entrevista à TVDG, Iris apontou a herança complicada que recebeu e admitiu que priorizou a organização interna da administração.

Reconheceu o que está à vista de todos – e que, agora, está estampado no DG, com retrato feito em cores nítidas pelo Grupom.

O prefeito garantiu que colocará os pés nas ruas em breve, de volta com os mutirões.

Vai comparecer, portanto.

Mas, para reconquistar o povo, o esforço de Iris terá de ser maior.

A pesquisa deixa claro que, além de tomar a atitude de mostrar a cara, o prefeito precisará recuperar a motivação de parte do eleitorado.

Terá de reacender na população aquele sentimento de que a cidade está segura, em mãos firmes, que pode ficar sossegada porque tudo vai correr bem, no tempo certo.

Há visão positiva dos goianienses em relação ao prefeito, mas desconforto evidente com este início de gestão, e isso não se resolve apenas com uma ida às ruas.

Iris terá de mostrar que tem um plano e que está no rumo certo. Que a cidade agora tem, de fato, prefeito.

Iris é um tocador de obra, um gestor de resultados, um líder inspirador que vive no meio do povo.

Iris só precisa ser Iris. Com aquela energia da entrevista à TVDG.

Veja entrevista:

Leia mais:

 

 

 

BUSCA