samuel

Colunista

Samuel Straioto

 

Deputado discorda de aumento tarifário (Foto: Portal Assembleia Legislativa de Goiás)
marlucio pereira
O deputado estadual Marlúcio Pereira (PSB), é o representante da Assembleia Legislativa na Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC). O parlamentar destaca que votará contra o aumento do valor da passagem de ônibus, previsto para subir de R$ 3,70 para R$ 4,00. Ele reclama que em outros anos houve a promessa de que ao aumentar o valor, teria melhoria na qualidade do serviço, e que isso na prática não ocorreu.

Marlúcio Pereira também fez críticas à CDTC. Ele destaca que a Câmara não foi convocada para discutir questões que são importantes como: segurança e fiscalização. Ele disse que a CDTC só foi convocada em 2016 para aprovar o aumento tarifário.

“O ano passado já fui contra, quando a passagem subiu de R$ 3,30 para R$ 3,70. Fui voto vencido. Aumentou 40 centavos. Eles apresentaram um planilha e prometeram vários investimentos que não foram feitos. Eu sou contra de novo, não teve investimento nenhum. A CDTC só convoca a gente para aumentar a passagem, não convoca para discutir segurança dentro dos terminais, não convoca para discutir sobre os pontos de ônibus que estão caindo, não cobrem ninguém, não convoca a gente para discutir fiscalização. Tem quase 20 fiscais apenas, precisa de uns 100 pelo menos. Não dá pra votar a favor. Aumenta se a passagem, mas não tem investimentos. Então meu voto é contra”, declarou.

Pedidos

Assim como o prefeito de Aparecida e presidente da CDTC, Gustavo Mendanha (PMDB), Marlúcio Pereira reclama da falta de linhas entre os bairros de Aparecida.

“Nós fizemos um requerimento pedindo que se fizesse circular em Aparecida, porque está perdendo dinheiro com isso. É mais fácil em alguns bairros a pessoa comprar em Goiânia, do que em Aparecida, porque não tem interligação, por exemplo, do Santa Luzia até o Centro, do Centro até o Garavelo. É importante que as empresas façam isso, abram mais linhas, ou que o prefeito abra uma licitação para que tenhamos linhas circulares em Aparecida”, declarou.

Leia mais

MP cobra da CMTC estudos técnicos sobre realidade do transporte coletivo

BUSCA