samuel

Colunista

Samuel Straioto

 

Helio de Sousa e Major Araújo conversaram ainda durante a tramitação do Pacote Fiscal (Foto: Samuel Straioto)
helio de sousa e major araujo

O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, Hélio de Sousa (PSDB), decidiu retirar representação no Conselho de Ética da Casa contra o deputado Major Araújo (PRP).

No último dia 13, Major Araújo fez uma série de críticas ao presidente da Casa, pela condução dos trabalhos, por não ter disponibilizado projetos do Pacote Fiscal com antecedência. O projeto estava em tramitação na Casa. Na ocasião, o parlamentar chegou a gravar um vídeo, ele usou alguns adjetivos contra o presidente, por exemplo, “vagabundo” e ainda chamou a Assembleia de “merda”.

Ao Diário de Goiás, Hélio de Sousa, explicou que tomou esta decisão, pois a família dele pediu. Além disso, o presidente argumentou que é o jeito dele, que não quer que perdure nenhum sentimento de rancor ou mágoa.

“Quando recentemente fui questionado e tiveram palavras inadequadas a minha pessoa, a presidência desta Casa e contra a Assembleia Legislativa, eu num primeiro momento pensei usar o conselho de ética para que o deputado justificasse. No entanto, após receber tanta solidariedade como recebi de todos os seguimentos dos deputados de governo e de oposição, de pessoas do mundo político, e após a minha família que entende que mesmo que você não concorde com aquilo que for feito, você não deve manter qualquer mágoa ou rancor. Então achei bem por fazer qualquer notificação no Conselho porque no meu entendimento as vezes poderia aumentar um sentimento que não é próprio da minha pessoa e também da minha família. A pedido da minha família, decidi por bem não fazer qualquer ato”, afirmou.

Vale ressaltar que além da representação que havia sido feita por Hélio de Sousa, ainda há outra apresentada por Henrique Arantes (PTB), com apoio de Júlio da Retífica (PSDB). O presidente Hélio afirmou que se perguntarem para ele, responderá que é melhor não continuar com o processo no Conselho de Ética.

“Como estamos no período de recesso, não há nenhuma tramitação de contar de prazos. Se me pedirem opinião, eu acho melhor deixar do jeito que está”, explicou.

Major Araújo é reincidente no Conselho de Ética. Ele já respondeu processo no conselho, mas recebeu apenas uma advertência por ter arremessado um tablet contra o deputado Talles Barreto (PSDB).O caso ocorreu em outubro de 2015.

Leia mais sobre o assunto

Ânimos se acalmam entre Major Araújo e presidente da Assembleia

Denunciado no Conselho de Ética, Major Araújo não se arrepende de polêmica

 

Leia mais sobre:


busca