samuel

Colunista

Samuel Straioto

 

Paulo Garcia sendo entrevistado por mim, após deslocamento da casa dele até o Paço (Foto: Arquivo Diário de Goiás)
pedal com o prefeito 3

Nestes últimos seis anos e nove meses, Goiânia foi administrada pelo prefeito Paulo Garcia. Creio que durante este período, talvez tenha sido o repórter que mais acompanhou as agendas públicas do petista. Visitas a obras, Frentes de Serviços, inaugurações, prestações de contas na Câmara, entre centenas de atividades. Não poderia no último dia de gestão, detalhar alguns erros e acertos que pude presenciar no dia a dia do prefeito.

Comportamento

Acerto

Paulo Garcia é um cidadão muito educado. Ao longo dos anos, sempre tratou as pessoas como realmente devem ser tratadas, gostando ou não delas.

Publicamente nunca o vi xingar ou ofender uma pessoa, mesmo em momentos tensos, como no lançamento do corredor T-7, em que um grupo de comerciantes fez duras críticas a ele. O fato ocorreu no dia 23 de fevereiro de 2015. Outro momento bastante complicado foi na última prestação de Contas na Câmara, em que foi durante criticado pelo vereador Clécio Alves e o prefeito conseguiu manter o equilíbrio.

Erro

Creio que um grande erro que o prefeito cometeu em várias entrevistas ao longo destes anos foi responder repórteres, dizendo que eles estavam equivocados, ou desinformados. Não é falta de educação, mas erro de estratégia de comunicação. Em todo o tempo de governo ocorreu isso.

Quantas vezes profissionais como a repórter da Rádio Difusora, Meirene Sousa, já não ouviu esta resposta. Meirene é uma das poucas jornalistas que põe o pé na lama, que vai para dentro dos Cais, dos terminais de ônibus, logo no início da manhã, quando o mais carente precisa de mais ajuda do poder público e não encontra serviço. Faz um jornalismo com a visão do povo e não das autoridades.

Meirene questionava o prefeito sobre demandas de cidadãos em determinadas regiões da cidade e ouvia a expressão “a senhora está equivocada”, que na verdade não era um equívoco, mas sim a queixa que o cidadão dizia a ela e que repassava ao prefeito.

Na última entrevista coletiva enquanto prefeito, ao inaugurar uma ponte na Rua 1008, na divisa da Vila Maria José com o Setor Pedro Ludovico, Paulo Garcia foi questionado pela repórter da TV Serra Dourada, Adriana Bueno, sobre a “buraqueira e o lixo”. O gestor iniciou a resposta dizendo que a profissional estava equivocada, pois o problema já havia sido resolvido. Na verdade não havia, o problema ainda permanecia e não muito distante daquela ponte, há 500 metros do local, já na Vila Redenção, uma rua completamente esquecida, lixo acumulado e inúmeros buracos.

O ideal seria ter adotado outra estratégia, explicar a visão do Município, sem dizer que houve equívoco. Em muitos momentos se criou uma visão de antipatia e que o gestor vive em outra realidade. É natural os governantes minimizarem os problemas para evitar desgastes, mas não deveria escondê-los, ainda mais quando o lixo ainda tomava conta de boa parte da cidade.

Dizer o que fez

Acerto

Em várias entrevistas, o prefeito ao explicar determinadas situações, principalmente estruturais, por exemplo a construção de quadras cobertas nas escolas, ampliação da rede básica de Saúde, drenagem urbana, destacou que antes dele a situação era completamente diferente.

Ao longo destes anos, Paulo Garcia teve a preocupação de mostrar à população que antes a situação era completamente diferente, que uma obra não deveria ter sido feita de uma forma, que seria preciso refazer.

Em uma das visitas ao Macambira Anicuns me recordo de um questionamento que um morador fez ao prefeito. Ele abordou Paulo Garcia reclamando de erosões e alagamentos. O petista o levou para bem próximo de uma construção de galerias nos córregos. Logo depois, para a imprensa, o prefeito explicou que as erosões ali estavam porque nunca haviam sido feitas obras de drenagem de forma correta.

De forma semelhante nas quadras cobertas em escolas, o prefeito disse em uma inauguração na divisa entre Goiânia e Trindade que antes dele não havia a entrega de Kits Escolares. Mérito da administração.

Recentemente Paulo Garcia destacou que grandes investimentos em Mobilidade Urbana não eram feitos desde a década de 1970. Na gestão dele, gostando ou não, foram construídos corredores preferenciais e o início do BRT-Norte Sul.

Erro

Vários acertos da administração se tornaram erros por falta de explicação adequada. Vários desgastes ocorreram por inabilidade na comunicação. Aqui trago dois exemplos: a atualização do IPTU de 2015 para 2016. Desde de o início deveria ter ficado claro que na maior parte dos imóveis haveria apenas a correção da inflação, ou seja, de acordo com a capacidade contributiva do cidadão. Oposicionistas se aproveitaram da demora na explicação devida.

O segundo exemplo é em relação a construção de CMEIS. Houve a promessa de se construir 81 Centros Municipais de Educação Infantil. Porém o governo federal, promoveu uma adequação. O tamanho dos CMEIS teria que ser diferente. Poderia comportar mais crianças do que antes.

De acordo com a secretária de Educação, Neyde Aparecida, o tamanho dos CMEIS era de era para 80 ou 120 crianças e passou para 160, 180. Levando em consideração a quantidade máxima anterior de vagas por CMEI (120), multiplicando por 81 centros: daria um total de 9720 vagas. Durante a gestão se criaram cerca de 14 mil vagas.

O prefeito cumpriu a promessa, levando em conta o número de vagas, mas a administração não soube explicar. Sofreu inúmeros desgastes. E aí não é apenas questão de propaganda como foi colocado nas últimas entrevistas coletivas, mas sim a ausência de um bom discurso.

Preocupação

Acerto

Uma das mais interessantes experiências que tive neste período foi o dia em que o jornalista Alexandre Parrode (Jornal Opção) e eu fomos convidados pelo prefeito Paulo Garcia para acompanha-lo um dia inteiro, desde o momento que saiu de casa, até o fim do expediente. Neste dia pude entender mais de perto o que é ser prefeito.

Paulo Garcia se mostrou um homem preocupado com a cidade. No carro muitos telefonemas. Naquele dia, por telefone ordenou que se tapasse buracos por onde passamos, roçasse áreas públicas, entre outras demandas.

Nas obras em que vistoriamos, o prefeito demonstrou profundo conhecimento sobre cada uma delas, as etapas e até mesmo os materiais a serem usados.

Erro

A atenção dada em algumas regiões deveria ser estendida a outras. Alguns pontos da cidade ao longo dos anos ficaram descuidados, em relação aos demais.

Desafios

Quero aqui apresentar o relato do dia em que o prefeito me convidou para ir de bicicleta da casa dele até a prefeitura. Tudo começou, quando ele disse na entrega de um centro esportivo no Jardim Guanabara que iria se preparar para isso. Como ciclista nas horas vagas, e com experiência em andar pelas ruas, sinceramente não acreditei que o prefeito pudesse se deslocar da casa dele para o trabalho de bicicleta.

Tive a oportunidade de acompanhar. Por ser uma atividade em que estavam outras pessoas, neste dia sim houve segurança. Prefeito chegou a receber críticas por isso, mas por algumas vezes, enquanto me deslocava de carro para o trabalho, vi o prefeito ao lado do coordenador do Macambira Anicuns, Nelcivone Melo, sem seguranças, apenas os dois indo para a prefeitura. Um bom exemplo. Penso que o mesmo deveria ter sido estendido para o transporte coletivo. O prefeito e auxiliares irem de ônibus e ver o tempo que as pessoas perdem, além do sofrimento.

Análise da gestão

Paulo Garcia é mal avaliado pela população. Como cidadão também faço minhas ressalvas. A imagem do prefeito ficou associada a crise do lixo, mato alto e a buracos nas ruas. Vários esforços foram feitos para contornar esta situação, mas para o cidadão, Paulo sai como uma imagem de um prefeito que descuidou da cidade. O cidadão não quer saber se ele se esforçou para obter empréstimo e recapear toda a cidade, ou que os problemas da coleta foram por várias circunstâncias. Os problemas ainda permanecem. No mandato até pedidos de impeachment o prefeito teve ao longo da gestão.

Por outro lado, creio que ele tem razão em parte quando diz que a história o julgará. As ciclovias são parte de uma nova realidade, assim como os corredores de ônibus, o Macambira Anicuns, a ampliação da rede básica de Saúde, a reconstrução da Maternidade Dona Iris e a construção da Maternidade da Região Oeste, entre tantos outros pontos. O jornalista Altair Tavares destacou 20 motivos para elogiar Paulo Garcia e a meu ver estão corretos.

Há várias outras situações ao longo destes seis anos e nove meses. Aqui destaquei algumas delas. Com as observações feitas, encerro com este texto a minha cobertura do mandato do prefeito Paulo Garcia.Em meio a erros e acertos, momentos tensos ou alegres, não faltou de Paulo Garcia respeito ao meu trabalho. Agradeço pela atenção ao longo dos anos e desejo boa sorte em uma nova jornada.

Leia mais sobre:

Contato com a redação:
(62) 99625-9856

BUSCA