logomarcadiariodegoias2017

No primeiro ano da atual legislatura, a Câmara de Goiânia passou no teste com nota 8,5 e vai para o segundo ano para grandes provas: A revisão do Plano Diretor de Goiânia; A conclusão da CEI (Comissão Especial de Inquérito) da saúde; A consolidação de um legislativo conectado com os interesses do cidadão. Na política, em Goiânia, o legislativo causou uma impressão positivo do que foi feito no ano.

A atual composição da Câmara revelou-se mais qualificada e mais estudiosa sobre os assuntos da cidade e da gestão municipal. Com isso, os vereadores conseguiram fazer um debate melhor do que o que foi feito nas gestões anteriores.

Para sustentar a análise, veja a lista de 10 pontos que proporcionaram uma impressão positiva sobre a Câmara de vereadores da capital. A avaliação ouviu observadores e jornalistas que acompanham o dia a dia do Legislativo. Propositalmente, esta avaliação não trata de nomes. Para contribuir com o debate, dê sua opinião na ENQUETE ABAIXO.

1. DEMONSTRAÇÃO DE INDEPENDÊNCIA

Nunca se teve tantas derrubadas de veto. Foi estimulada pela gestão do Paço Municipal. Cargos não foram usados para controlar o voto dos vereadores.

2. A PRÁTICA DO CONFRONTO (OU DO ENFRENTAMENTO POLÍTICO DURO)

Seja no plenário, nas comissões, audiências ou prestações de contas, os vereadores foram duros nas cobranças e não se deixaram levar por explicações pouco convincentes.

3. VEREADORES NA RUA (E NAS REPARTIÇÕES)

Cada um com seu estilo, ou sua ousadia, foi positivo o fato de que os parlamentares de Goiânia estiveram onde foi necessário para contestar e, inclusive, revelar fatos inéditos como aconteceu nas visitas às unidades de saúde de Goiânia como a falta de médicos

4. A TRIBUNA LIVRE

A qualidade do que foi apresentado por convidados na “Tribuna Livre” revelou um Legislativo que está aberto para a população, inclusive para os fatos mais graves da gestão da prefeitura de Goiânia.

5. A DERRUBADA DOS VETOS

Derrubar um veto é sinal de independência e, principalmente, de posicionamento objetivo em favor da população. Uns mais ousados, outros pela onda, mas não há dúvida de que a derrubados dos vetos do prefeito Iris Rezende surpreenderam .

6. DEBATES COM TÉCNICOS

Seja nas comissões ou no plenário, a participação de técnicos nos diversos assuntos fortaleceu o debate e qualificou o resultado, principalmente nas comissões de inquérito.

7. PARTICIPAÇÃO DOS VEREADORES NAS SESSÕES

Apesar de algumas faltas, a presença dos vereadores nas comissões e no plenário foi fator positivo.

8. CRIAÇÃO E A AÇÃO DAS COMISSÕES DE INQUÉRITO

O resultado apresentado pelas comissões de inquérito da SMT, da saúde de Goiânia (Em andamento) e do transporte coletivo levaram à apresentação de propostas e menos ao interesse na acusação de envolvidos. As sessões contribuíram com esclarecimentos e ajudaram a opinião pública a entender as problemáticas investigadas.

9. PROTAGONISMO NÃO FICOU COM APENAS UM VEREADOR

Num corpo com tanta diversidade na sua composição, a Câmara de Goiânia exibiu um protagonismo distribuído na atuação de vários integrantes. No geral, a disputa pelo papel principal revelou-se positiva.

10. REFORÇO DO PAPEL FISCALIZADOR

Como resultado de uma ação mais independente, a ação fiscalizadora foi uma das grandes surpresas do primeiro ano da atual Câmara de Vereadores da capital. A opinião pública percebeu que há parlamentares que reforçaram de forma positiva a maior função do Poder Legislativo.

Em projetos, não foram apresentadas tantas inovações no Legislativo goianiense. Se quiserem melhorar ainda mais, os vereadores deveriam se interessar mais na fiscalização e verificar se o orçamento está em execução em cada área.

Percebe-se que a atual  gestão está mais sensível às voz das ruas e aos interesses da população.

A contribuição de Iris Rezende

Inicialmente, pareceu  um equívoco político o fato de o prefeito Iris Rezende não negociar cargos com uma base de vereadores de Goiânia e, também, não definir um deles para ser seu líder no Legislativo. No saldo do ano, o prefeito de Goiânia ajudou na construção de uma Câmara mais independente.

A continuar na atual situação, sem um líder do governo e sem um líder do prefeito, Iris vai ajudar, ainda mais na institucionalização de uma Câmara Municipal independente.

Por outro lado, a mesa diretora da Câmara de Goiânia teve equilíbrio na condução dos trabalhos, sem fazer interferências que impediriam o trabalho dos vereadores. Foi fato positivo a gestão ter investido com regularidade na preparação e reciclagem de servidores do Poder Legislativo. A continuidade do projeto contribuiu para a qualidade do trabalho administrativo e dos vereadores.


Qual nota você dá para o trabalho da Câmara de Goiânia em 2017?

 

 

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

SEARCH