altair

Colunista

Altair Tavares

 

A morte do ex-prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, provoca a lembrança de que era um prefeito que entra para a história da cidade como um inovador, principalmente na área da sustentabilidade. Criticado, bombardeado, atacado, ele aprendeu a conter-se durante o aprendizado como prefeito da capital.

O legado de Paulo Garcia é maior do que as críticas que recebeu, apesar das impressões que foram cristalizadas sobre a administração dele, em Goiânia. O prefeito que começou a administração, quando sucedia Iris Rezende, em 2010, era muito diferente do que o que terminou a gestão em dezembro de 2016. Ele olhava para o que fez e tinha certeza que fez bem e a cidade um dia iria reconhecer a visão da sustentabilidade que ele tinha como perspectiva.

Em 30 de dezembro de 2016, escreví “20 motivos para elogiar a administração de Paulo Garcia em Goiânia”. Não há dúvida, ele deixou bons projetos para a cidade que contribuíram, agora e no futuro, para melhoria da qualidade de vida na capital.

São estes os motivos:

Construção e manutenção da Maternidade Dona Íris com alta qualidade; Início da construção da Maternidade Oeste; Construção de 32 novas unidades de saúde; Ampliação do atendimento em 30%; Construção do Viaduto Mauro Borges; Viabilização e início da implantação do Projeto Macambira-Anicuns; Implantou a cultura de valorização da bicicleta com instalação de ciclovias e ciclofaixas; Construção da primeira cicloponte de Goiâniano Córrego Cascavel; Implantação dos corredores preferenciais da Av. Universitária e na Avenida 85; Início da implantação do corredor T-7 e T9; Viabilização e início da construção do BRT Norte-Sul;

10.Viabilização e confirmação do empréstimo de U$ 100 milhões para o recapeamento do asfalto antigo de Goiânia.

11.Aumento salarial de 108,29% para professores e de 52,71% para administrativos;

12.Construção da nova Praça Cívica com valorização do patrimônio histórico:

13.Construção de 15 novos parques (Incluindo parte do Projeto Macambira Anicuns).

14.Ampliação da estrutura da Guarda Municipal de Goiânia;

15.Continuidade e construção do novo Mutirama integrado ao Parque Botafogo; Construção do teleférico.

16.Reforma administrativa com redução do número de secretarias;

17.Concurso da educação em andamento para efetivar professores e administrativos em 2017.

18.Melhoria no IDEB da rede municipal de Goiânia.

19.Construção de CMEIS com ampliação de 14 mil vagas para crianças de 0 a 4 anos;

20.Levou Goiânia para o mundo com integração ao projeto de Cidades Sustentáveis e a cidade foi premiada por isso.

Hoje, ao observar o texto, penso que ele é razoavelmente honesto com o que realizou o prefeito Paulo Garcia. No entanto, a cidade ainda daria a ele, no futuro, o reconhecimento que poderá refletir o que realmente foi a contribuição dele para a capital.

Nos últimos dias, passou horas defendendo-se das acusações feitas contra ele no caso do acidente com o brinquedo Twister, no Mutirama. A mim, ao ser procurado, enviou mensagens informando que, até o último dia da gestão, o espaço de lazer contava com responsabilidade técnica e equipe de manutenção devidamente contratada desde que o local foi ampliado.

Procurado para entrevistas, escorregava. E traçava alguns comentários sobre o futuro da política goiana, em off, claro. Até os últimos dias, defendeu sua administração. Agora, resta o julgamento da história ao “Senhor Sustentabilidade”. 

 

Leia mais sobre:

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA