altair

Colunista

Altair Tavares

 
b_350_0_16777215_00_images_stories_imagens_2017_julhos_iris_na_obra_do_parque_cascavel.jpeg

Iris Rezende visita obra do Parque Cascavel ao lado de secretários (Foto: Secom)
iris rezende visita corrego cascavel foto secom goiania
O prefeito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB) fecha o primeiro semestre do mandato dele na gestão da capital com um balanço focado na equipe. Em entrevista, no Parque Cascavel, enfatizou que surpreendeu-se com o trabalho do seu grupo de secretários e deu a entender que a administração já começou a ganhar um ritmo que ele espera. A área de obras, sem dúvida, tem atenção especial.

O secretário Fernando Cozzetti, em entrevista na Vinha FM, reforçou que o ano de 2017 é de elaboração de projetos para captar recursos para diversas obras importantes para a cidade, novas ou em continuidade. Uma, em especial, vai demander muito trabalho: A construção da Avenida Leste-Oeste. A conclusão da obra, para o lado da Praça do Trabalhador no sentido do Jardim Novo Mundo está estacionada há muito tempo.

Para o secretário, serão necessário quase R$80 milhões de reais para a construção da avenida que percorrerá o leito da antiga Estrada de Ferro. Este seria, disse ele, o local ideal para a construção de um VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos), mas a proposta já foi superada por que o lado oeste já virou rua asfaltada.

Apesar das poucas presenças em meios de informação para entrevistas, o secretário dá a impressão que tem foco objetivo nas reais necessidades da prefeitura de Goiânia e a certeza de que tem que traçar caminhos seguros com projetos para conquistar recursos e executar obras. A cidade precisa muito.

A maior obra da administração do atual prefeito é a continuidade do empréstimo de R$100 milhões de reais para a recuperação asfáltica de 631 quilômetros das ruas de Goiânia que tem uma malha que já passou da hora de uma revisão.

Na lista, o secretário reforçou a retomada da construção da “ponte da Delta”, localizada, entre o Jardim América e a Vila Alpes, na continuidade da Avenida T-8. O apelido foi dado por causa da interrupção da obra durante a crise da Operação Monte Carlo e da inatividade da empresa em virtude da repercussão do caso. Foi necessária uma nova licitação para retomar a construção.

No plano do secretário Cozzetti está o investimento para solucionar o problema de excesso de águas no leito do ex-córrego Botafogo. Entre as soluções estaria aprofundar o leito para caber mais água e, também, a construção de bacias de contenção na região ao entorno da Marginal Botafogo para evitar que as águas corram para o lugar. Outro projeto que precisa de milhões de reais em recursos.

Na lista de obras, a continuidade da construção dos corredores do transporte coletivo atende ao Plano Diretor da cidade e 5 editais  estão na Caixa para atender ao objetivo planejado para a obra. Mais uma vez, a busca de recursos externos está na agenda da prefeitura.

Na lista de obras, a administração dá continuidade, também à construção do hospital e maternidade da região Oeste (Similar à Maternidade Dona Íris) que foi iniciada na administração do ex-prefeito Paulo Garcia (PT) e, também, tem financiamento federal.

Outra obra, o BRT também é continuidade com o apoio do Governo Federal. Com recursos próprios, a administração tem limites para o investimento em obras. A lista de necessidades é grande para fontes também limitadas. No entanto, a dependência não é nova.

Iris Rezende defendeu que Michel Temer continue no governo. O crédito pode render-lhe bons contatos e apoio para as obras da administração. Do mesmo modo, ao afirmar que Luís Inácio Lula da Silva merece um perdão (Falando sobre a condenação do juiz Sérgio Moro), ele mantém portas abertas se o petista chegar à presidência.

Leia mais sobre:

BUSCA