(Foto: Reprodução/ Instagram)
bruno giovanna e titi ewbank

O ator Bruno Gagliasso, 35, foi à Cidade da Polícia, nesta segunda-feira (27), na zona norte do Rio, para prestar queixa das ofensas racistas contra sua filha Titi, 4, feita pela socialite Day McCarty.

No domingo (26) a brasileira, que atualmente mora no Canadá, divulgou um vídeo chamando a menina de "macaca com cabelo de bico de palha", dentre outras ofensas raciais. Bruno e a esposa, Giovanna Ewbank, se manifestaram nas redes sociais instantaneamente dizendo que tomariam providências legais.

Bruno disse que espera justiça. "É por isso que estou aqui, como pai, como cidadão. Isso é crime e ela precisa pagar pelo que fez", comentou. 

Em entrevista à imprensa, Bruno comentou o fato de McCarty morar fora: "Eu conversei com a delegada, e a delegada falou que é muito importante a gente estar aqui fazendo isso. É crime em qualquer lugar do mundo e ela vai responder por isso."

O ator também comentou que sentiu triste com o vídeo, "uma sensação de impotência", definiu: "Eu senti o que qualquer ser humano decente se sentiria". 

Ele acrescenta que os comentários racistas são frequentes e devem ser combatidos a todo custo. "Isso acontece o tempo todo e se nós não fizermos nada, vai continuar acontecendo."

Esta é a segunda vez que o casal denuncia ofensas racistas contra a filha, adotada por Gagliasso e Ewbank, em 2016. Em novembro do ano passado, Bruno foi à Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) para prestar queixa de comentários racistas deixados em uma foto de Ewbank no Instagram.

POLÊMICA

Também neste domingo (26), Day McCarty compartilhou um vídeo dizendo que a cantora Anitta é usuária de cocaína. "Anitta cheira pó, sim! Cheirou pó na minha frente, eu ainda filmei, sem querer", disse. 

Além disso, esta não é a primeira vez que McCarty é processada. Em agosto deste ano, Roberto Justus e Ticiane Pinheiro processaram a socialite por ofender a filha Rafaella, 8. Ela foi obrigada a retirar o vídeo com os comentários do ar e excluir sua conta do Instagram, que, na época, tinha cerca de 100 mil seguidores.

Leia mais:

 

 

 

 

 

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA