A mãe do adolescentes, de 14 anos, que atirou em colegas no Colégio Goyases, localizado no Conjunto Riviera irá depor na Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais (DEPAI) nesta sexta-feira (27). A subtenente da Polícia Militar, ficou internada em estado de choque desde o dia do atentado, na última sexta-feira (20), e só recebeu alta hospitalar nesta terça-feira (24). Segundo o escrivão da delegacia, o horário do depoimento ainda não foi definido.

O pai do adolescente, major Divino Aparecido Malaquias prestou depoimento à polícia na manhã desta segunda-feira (23). Acompanhado pela advogada Rosângela Magalhães, o major demonstrou estar transtornado emocionalmente e chegou a ser amparado por uma assistente social.  À polícia afirmou que nunca ensinou ao adolescente sobre o manuseio de armas e nem a atirar.

Após o atentado, Divino resolveu se afastar da polícia e tirou férias.

 O caso

Na última sexta-feira, dia 20 de outubro, por voltas das 11h50 durante o intervalo de duas aulas, um adolescente de 14 anos, estudante do Colégio Goyases tirou uma pistola .40 da mochila e atirou contra os colegas dentro da sala de aula. Uma coordenadora, no intervalo da recarga das munições convenceu o aluno a parar de atirar.

O atentado resultou na morte de dois adolescentes, o João Vitor Gomes e João Pedro Calembo, ambos de 13 anos, e deixou Hyago Marques, Marcela Rocha Macedo, Isadora de Morais e Lara Fleury Borges feridos. O suspeito dos disparos foi apreendido e encaminhado para a Delegacia Estadual de Atos Infracionais (DEPAI). 

Leia mais:

 

 

 

 

 

 

Contato com a redação:
(62) 9 9820-8895

BUSCA